O eletrocardiograma foi introduzido na prática médica por Willen Eithoven, em 1902. Este exame registra a atividade elétrica do coração em repouso, geralmente, através da colocação de dez eletrodos: dois localizados nas pernas, dois localizados nos antebraços e seis localizados na região anterior do tórax.

Estes eletrodos permitem o registro de 12 ou mais derivações (D1 , D2 , D3, AVR, AVL ,AVF, V1 , V2, V3, V4, V5 e V6). Estas derivações traduzem a atividade elétrica de determinadas partes do coração (por exemplo: D2, D3 e AVF, visualizam a parte inferior do coração). O eletrocardiograma é o exame cardiológico mais simples, sendo obrigatório em qualquer avaliação dentro dessa especialidade.